Formatter e Image Burner

A nova Central de Aplicativos do elementaryOS traz um conceito diferente para o 'ecossistema' de desenvolvimento de aplicativos. Com um lema de pague o que desejar oferece alguns novos aplicativos que são bem minimalistas.

Formatter e Image Burner são dois aplicativos desenhados para elementaryOS e com uma interface extremamente simples para realizar operações um tanto complexas.

Formatter

Um simples formatador desenhado para o elementaryOS
Interface do Formatter
Imagem: Interface do Formatter.

O aplicativo possui três etapas:

Sistema de Arquivos, podendo optar pelos formatos FAT32, exFAT, ext4 e NTFS;
Dispositivo, onde definimos qual o dispositivo será utilizado (USB);
Formate, para concluir!

Image Burner

Um simple Gravador de Imagens desenhado para o elementaryOS

Interface do Image Burner
Imagem: Interface do Image Burner.

O aplicativo também possui três etapas:

Imagem, onde selecionamos a imagem de disco;
... o Dispositivo USB;
Flash, que basicamente significa replicar os arquivos neste contexto.

Pressionando em Escrever Imagem (Botão Azul) começará o processo de gravação (torna o pendrive bootável) que foi aparentemente mais rápido do que o UNetbootin (Utilizando os mesmos hardwares).
Image Burner gravando imagem de disco no pendrive
 Imagem: Image Burner gravando imagem de disco no pendrive.

Imagem Burner - Imagem gravada (ubuntu-gnome-16.04.3-desktop-amd64.iso escrita para SanDisk Cruzer Fit)
Imagem: Imagem Burner - Imagem gravada.

Estes dois programas são bem úteis quando se quer fazer estes tipos de operações sem muitas especificações!


Fontes:
GitHub - artemanufrij
GitHub - Djaler

Programando o PC para Ligar Automaticamente com rtcwake

Após não obter resultados satisfatórios com o nvram-wakeup (Um software para programar o PC para ligar), acabei encontrando no próprio linux (util-linux - Conjunto de Comandos para a Administração do Sistema Operacional) uma ferramenta que se propõe para a mesma tarefa e que para meu hardware funcionou adequadamente!

rtcwakeup

Outras Funcionalidades consulte no man (Comando)

Programando o computador para ligar automaticamente:
sudo rtcwake -m off --date 14:45 
Obs.: Para a sintaxe --date defina Hora:Minuto como demonstrado acima.

Enquanto a memória do PC estiver energizada o comando sempre funcionara! (Assim acho)

Mapear Tablet Wacom em modo Monitor Singular

Notei que a utilizar dois monitores, o rastreamento do tablet Wacom ficava limitado para apenas o monitor principal do Sistema Operacional e mesmo alterando nas configurações do sistema no botão Mapear para monitor... e na caixa de seleção, Associar para monitor singular... escolhendo a saída desejada, o rastreamento do Tablet permanecia no monitor principal.

Acabei lendo vários artigos em inglês, mas que continham informações muito específicas para os modelos de tablet.

- Eu só quero alterar o rastreamento do tablet de um monitor A para o monitor B, não pode ser tão difícil!?!

Depois de ler muitos artigos, encontrei a solução no Fórum do Linux Mint!

Primeiro listei tos os dispositivos de entrada e identifiquei meu tablet:
xinput --list
⎡ Virtual core pointer                     id=2 [master pointer  (3)]
⎜   ↳ Virtual core XTEST pointer               id=4 [slave  pointer  (2)]
⎜   ↳ LXD Gaming Mouse                         id=10 [slave  pointer  (2)]
⎜   ↳ USB Keyboard                             id=12 [slave  pointer  (2)]
⎜   ↳ Wacom Bamboo One S Pen stylus            id=8 [slave  pointer  (2)]
⎜   ↳ Wacom Bamboo One S Pen eraser            id=14 [slave  pointer  (2)]
⎣ Virtual core keyboard                    id=3 [master keyboard (2)]
    ↳ Virtual core XTEST keyboard              id=5 [slave  keyboard (3)]
    ↳ Power Button                             id=6 [slave  keyboard (3)]
    ↳ Power Button                             id=7 [slave  keyboard (3)]
    ↳ LXD Gaming Mouse                         id=9 [slave  keyboard (3)]
    ↳ USB Keyboard                             id=11 [slave  keyboard (3)]
    ↳ Eee PC WMI hotkeys                       id=13 [slave  keyboard (3)]
    ↳ LXD Gaming Mouse                         id=15 [slave  keyboard (3)]
    ↳ USB Keyboard                             id=16 [slave  keyboard (3)]

Logo em seguida listei todos os monitores conectados e ausentes
xrandr
Screen 0: minimum 8 x 8, current 2732 x 770, maximum 16384 x 16384
DVI-I-0 connected 1366x768+1366+2 (normal left inverted right x axis y axis) 413mm x 234mm
   1366x768      59.79*+
   1360x768      60.02  
   1024x768      75.03    72.00    70.07    60.00  
   800x600       75.00    72.19    60.32    56.25  
   640x480       75.00    72.81    59.94  
   640x400       70.10  
DVI-I-1 disconnected (normal left inverted right x axis y axis)
DP-0 disconnected (normal left inverted right x axis y axis)
DP-1 disconnected (normal left inverted right x axis y axis)
DP-2 disconnected (normal left inverted right x axis y axis)
DP-3 disconnected (normal left inverted right x axis y axis)
HDMI-0 connected primary 1366x768+0+0 (normal left inverted right x axis y axis) 410mm x 230mm
   1366x768      59.79*+
   1920x1080     59.94    50.00    29.97    25.00    23.97    60.05    60.00    50.04  
   1280x720      60.00    59.94    50.00  
   1024x768      75.03    70.07    60.00  
   800x600       75.00    72.19    60.32  
   720x576       50.00    50.08  
   720x480       59.94    60.05  
   640x480       75.00    72.81    59.94  
DP-4 disconnected (normal left inverted right x axis y axis)
DP-5 disconnected (normal left inverted right x axis y axis)
Como visto o monitor principal é o HDMI-0 e o monitor em destaque (DVI-I-0) é o qual pretendo associar o tablet.

Comando para definir Mesa digitalizadora para monitor DVI-I-0:
xsetwacom set "Wacom Bamboo One S Pen stylus" MapToOutput DVI-I-0
Caso você NÃO TENHA drivers proprietários instalados, este comando deve já concluir o mapeamento com sucesso. Agora compreendo porque as configurações do tablet não funcionaram!

Comando para definir Mesa digitalizadora para monitor HEAD-1:
Neste caso, os dois monitores estão conectados na placa de vídeo e estou utilizando um driver proprietário. Descobri que o recurso TwinView das placas nVidia requer outro nome para os monitores identificados. Logo comecei por HEAD-0 e nada aconteceu, logo HEAD-1 e o mapeamento estava funcionado somente no monitor secundário!
xsetwacom set "Wacom Bamboo One S Pen stylus" MapToOutput HEAD-0
xsetwacom set "Wacom Bamboo One S Pen stylus" MapToOutput HEAD-1

Há também outros métodos para fazer o mapeamento! Mas preferi não me aventurar mais do que isto!

Fonte:
Linux Mint Forums - Graphics tablet on multi-monitors HOW TO
Wikibooks - nVidia/Twin View

Tablet Wacom CTL-471

Imagem: Tux lendo o código fonte - Desenhado por Phelipefox 
 Imagem: Tux lendo o código fonte - Desenhado por Phelipefox

Talvez você prefira PULAR esta história!

Recentemente comprei uma mesa digitalizadora para, enfim, DESENHAR!

A caixa veio com o Tablet, Caneta, Cabo porta USB - Micro USB e um CD com Drivers para Windows e MAC OS X (item que descartei atirando para longe, já que meu PC não tem leitor de CD-DVD).

É lógico que ter os traços na tela do PC em tempo de desenho, agiliza vários processos do desenho tradicional... Sabe, desenhando no papel você ainda tem que escanear a folha e finalizar o desenho no PC ou em uma animação, quantos folhas seriam utilizadas? Os lápis? Canetas?

Eu nunca havia utilizado um tablet deste tipo, e após conectá-lo no PC, simplesmente peguei a caneta, observei como 'ela reagia' de acordo com a tela, abri um software de desenhos olhei para a tela e fiz um primeiro teste:

Primeiros teste. Um rabisco da esquerda para a direita, demonstrando a pressão do traço (forte: traço escuro; fraca: traço claro. Sete formas semelhantes a letras. Um árvore com algumas sombras.)

Primeiramente fiz um teste de pressão: Fui rabiscando pressionando forte a caneta contra o tablet e diminuindo a pressão como faria em uma folha normal. O Resultado me agradou!

Logo em seguida desenhei algumas curvas para observar como a caneta se comporta.. então rabisquei algumas letras... as quatro últimas aparentam ser do alfabeto hiragana japônes (no, i, u , ku) não tenho certeza. Gostei do resultado!

Já com estes pequenos testes realizados, decidi desenhar algo! ... E, caraca, parece muito mesmo que estou desenhando em uma folha. Principalmente por causa do material da área de desenho do tablet!

Notei que, para mim, não foi incômodo algum estar olhando para a tela ao invés de estar olhando para (onde estaria) a folha. Utilizei o software MyPaint para realizar estes testes. O negócio é saber desenhar!

Especificações Técnicas:

  • Tablet com caneta
  • Peso aproximado 240 g
  • Área ativa 152 x 95 mm
  • Multitoque - Não
  • Caneta - Uma caneta (sem borracha)
  • Níveis de pressão - 1024, pen tip only
  • Tecnologia da caneta - Sensível a pressão, cordless, sem bateria
  • Tecnologia - Método de Ressonância Eletromagnética
  • Resolução100 linhas/mm (2540 lpi)
  • Velocidade de leitura (caneta) - 133 pps
  • ExpressKeys™ - Não
  • Requisitos do sistema - Porta USB, Conexão com Internet, Windows 8, Windows®7 SP1, Windows® Vista SP2, ou Windows® XP SP3
    MacOS 10.6.8 ou superior (Processador Intel®)
  • Cabos incluídos - Sim
  • Suporte para Rede sem Fio - Não
Utilizando o Kernel Linux 4.4.0-77-generic.

Lingando

Conectei os cabos e pluguei no PC, foi me exibida uma notificação bem empolgante!

Notificação do sistema - O tablet "Wacom Bamboo One s Pen" pode não funcionar como esperado.
Imagem: Notificação do sistema - O tablet "Wacom Bamboo One s Pen" pode não funcionar como esperado.

Abri as configurações do tablet:

Imagem: Configurações do tablet
Imagem: Configurações do tablet

E todos os botões da caneta funcionaram normalmente, a opção modo de rastreamento e de orientação do tablet também. Não tive nenhum problema.

Apesar de não mencionar Suporte a Linux, acredite, Funciona!

Castanhos por Phelipefox




Ingressar no Grupo Doméstico do Windows com o Linux


Acessando Grupo Doméstico do Windows com o Linux 
Imagem: Acessando Grupo Doméstico do Windows com o Linux

Antes de tudo. Não é preciso ter o samba instalado para este procedimento funcionar!

Você não estará ingressado por completo no grupo, mas terá acesso à leitura e gravação de alguns diretórios na rede Windows, principalmente os Diretórios Públicos!

Primeiramente para acessarmos um PC do Grupo Doméstico do Windows a partir do Linux precisamos Desativar o Compartilhamento protegido por senha em Configurações de Compartilhamento Avançadas no Windows.



Agora basta acessar o PC Windows a partir de seu Linux normalmente pelo navegador de arquivos e inserir a senha do grupo doméstico.

Exibir senha do Grupo Doméstico
Imagem: Exibir a senha do Grupo Doméstico no Painel de Controle do Windows.


Solicitação de senha para acesso - Rede de Computadores
Imagem: Solicitação de senha para acesso no navegador de arquivos do Linux

Após isso, podemos navegar nos diretórios, criar, mover e apagar aquivos do PC Windows.

Navegador de arquivos do Linux utilizando o protocolo SMB. 
Imagem: Navegador de arquivos do Linux utilizando o protocolo SMB.
Nota: Apesar do PC Linux ficar visível na rede Windows, não é possível acessá-lo!
Este método é bem mais rápido! Além de não requerer nenhum outro programa adicional para acessar um PC Windows através da Rede de Computadores local!

Lhe recomendo a leitura de SAMBA - Compartilhamento de Arquivos na Rede.



Editor de Vídeo Kdenlive

O Kdenlive (KDE Non-Linear Video Editor) é um editor de vídeo open-source baseado no framework de multimídia MLT e KDE.

Este editor de vídeo é um dos, se não, o melhor editor disponível para Distribuições Linux. Sua utilização e interface são semelhantes com o bastante conhecido Sony Vegas e talvez o Adobe Premiere, ao menos no que se refere a edição de vídeos.

Imagem: Interface do Kdenlive no Elementary OS
Imagem: Interface do Kdenlive no Elementary OS | Vídeo Finalizado


Imagem: Interface padrão de editores de vídeos
Imagem: Interface padrão de editores de vídeos


Principais Características

  • Utiliza efeitos do MLT, Frei0r, bibliotecas SoX, LADSPA e suporta todos os formatos suportados pelo FFmpeg ou libav.
  • Possuí edição multi-track (múltiplas pistas) com uma timeline de ilimitadas trilhas de vídeo e áudio.
  • Ferramentas para criar, mover, cortar e deletar trechos de vídeo, áudio, texto e imagem. Teclas de atalho e layout de interface ALTAMENTE configuráveis.
  • Um número enorme de efeitos e transições. Efeitos de áudio incluem normalização, phase e pitch shifting, limiting, ajuste de volume, filtros de reverberação e equalização, bem como muitos outros.
  • Efeitos de vídeo incluem opções de masking, blue-screen, distorções, rotações, ferramenta de cores, blurring, obscuring e outros.
  • Capacidade de adicionar efeitos customizados e transições.
  • Efeitos Keyframeables (Chaves de quadro), isto significa que, pode-se ajustar um texto/imagem/vídeo na tela de acordo com o tempo, fazendo-o se mover, girar, rotacionar, sumir gradativamente, etc.
  • Renderização é feita usando um processo separado 'non-blocking', podendo, portanto, ser pausado, parado e reiniciado.
  • Kdenlive também provê um script chamado Kdenlive Builder Wizard (KBW) que compila a mais recente versão em desenvolvimento do software e suas principais dependências a partir dos fontes para permitir aos usuários testar novas características do programa e reportar problemas ao bug tracker.
  • Nas ultimas versões o Kdenlive ganhou a possibilidade de diminuir a velocidade de reprodução de quadros por segundo de vídeos e também do áudio.

É um software extremamente estável na renderização dos projetos. O software pode ser compilado e executado sobre o Mac OS X, apesar de ser uma versão desatualizada :(. Um port para Windows está previsto para antes do final deste ano (2016).

Resumo da Interface


Imagem: Interface do Kdenlive - 1. Menu de atalhos de acesso rápido, 2. Binários do Projeto, 3. Transições e Efeitos, 4. Monitor do Projeto e do Clipe, 5. Ferramentas da Linha do Tempo, 6. Linha do Tempo.
Imagem: Interface do Kdenlive

1. Menu de atalhos de acesso rápido: Pode ser customizado á sua maneira!
Novo: Novo Projeto de vídeo do Kdenlive;
Abrir: Abrir algum projeto;
Salvar: Salva o projeto atual;
Desfazer e Refazer ações no projeto atual;
Copiar e Colar algo da área de transferência;
Renderizar: Criar o arquivo de vídeo com as especificações definidas.

2. Binários do Projeto: Arquivos de multimídia que foram adicionados ou criados para o projeto. Pode-se observar uma lista organizada por nome.

3. Transições e Efeitos: Exibi uma lista de todas as transições e efeitos que podem ser utilizados para o vídeo!

4. Monitor do Projeto e do Clipe: Exibe a imagem atual do arquivo de vídeo da linha do tempo (6) ou do clipe selecionado (2).

5. Ferramentas da Linha do Tempo: Botão seleção, corte, mover todos os objetos (clipes da linha do tempo) a partir do selecionado, tempo atual da agulha do tempo / tempo total do projeto, Inserir clipe, Sobrepor clipe, e outros.

6. Linha do Tempo: Aqui estão as trilhas de vídeo e áudio para serem utilizadas, mas pode-se inserir ou apagar se necessário. O projeto é manipulado a partir daqui, assim como a zona de renderização e demais funções no menu de contexto.

Fontes:
Kdenlive.org
KDE
Wikipédia


Elementary OS Loki: Relatório Lê Linux

O Elementary OS Loki foi construído sobre o Ubuntu 16.04, mas nesta versão do sistema, posso dizer que está menos Ubuntu!!! Veio equipado com um Kernel Linux 4.4 e nem precisei fazer todo este processo para o adaptador de rede funcionar!

Mudanças

Nesta versão o Elementary OS está ainda mais (não sei como conseguem) refinado visualmente e organizado. Os aplicativos agora foram completamente desenhados para o sistema e alguns outros conseguem ficar integrados visualmente muito bem! (principalmente os apps em gtk-3)

Imagem: Área de Notificações - Freya à esquerda e Loki à direita.

Detalhes

As notificações do sistema agora são exibidas e "gravadas" em uma central de notificações.

Uma Notificação de tarefa terminada há um minuto atrás.
Imagem: Uma Notificação de tarefa terminada.


Imagem: Notificação de aplicativos que utilizam muita bateria.
Imagem: Notificação de aplicativos que utilizam muita bateria, seja lá como isso é calculado.


A Central de Aplicativos é EXTREMAMENTE ágil em relação ao mesmo aplicativo do Ubuntu. Até mesmo atualizações do sistema e apps são realizadas nela, mas não mostra os detalhes! :( Por exemplo, os pacotes que estão sendo baixados individualmente, etc. Eu diria que é a Central de Aplicativos Gnome!
Central de Aplicativos
Imagem: Central de Aplicativos

Notificação de autenticação para softwares de outros repositórios. (O programa não vem de uma fonte confiável. Não atualize este pacote a não ser que você esteja certo de que é seguro fazer isso.)
Imagem: Autenticação para Softwares de outros repositórios.


O Design do sistema além de ser impecável esta mais esperto!

Área de notificação do sistema. Quando uma imagem é muito clara, os ícones ficam escuros e quando a imagem é muito escura, os ícones ficam claros.
Imagem: Área de notificação do sistema. Quando uma imagem é muito clara, os ícones ficam escuros e quando a imagem é muito escura, os ícones ficam claros. O.o

O Sistema esta incrivelmente rápido, rápido mesmo! Bugs dos efeitos visuais foram corrigidos; O player de música não trava como o da versão Freya.

Dificuldades que eu tive!

Primeiramente quando fui instalar o driver proprietário da Nvidia graficamente, tive que instalar o chamado "Propriedades do software" na Central de Aplicativos... Logo instalei o driver rapidamente sem problema algum!

Configurador de repositórios e softwares instaláveis.
Imagem: Configurador de repositórios e softwares instaláveis.

Não se consegue adicionar PPA's. Instale o software-properties-common e configure-o, assim você poderá utilizar este recurso novamente! (sudo apt-get install software-properties-common).

Se você quiser instalar um pacote .deb, terá que utilizar o comando dpkg -i ou instalar o Gdebi para tal finalidade.

Até agora não consegui definir a imagem da conta ou selecionar qualquer item (arquivo) para enviar para outra aplicação, pois este menu de seleção não possuí qualquer botão de enviar, selecionar, definir, etc. Simplesmente paro aqui... :( (Será que tenho de apagar as configurações do pantheon?!?)

Janela de contexto para seleção.
Imagem: Janela de contexto para seleção.

Janela de contexto. (Imagem adicionada em 04/10/2016)
Imagem: Janela de contexto APARENTEMENTE corrigida! (Após algumas atualizações do sistema a janela de contexto passou a exibir os botões!)

No geral, tenho a impressão de que o sistema esta começando a ter uma certa independência!


SoundConverter - Conversão de áudio por meio do GNOME

Um dos softwares que uso para converter arquivos de áudio em meu linux é o SoundConverter ou simplesmente Conversor de som do Gnome.

Tem uma aparência semelhante ao Selena Media Enconder e utiliza o GStreamer para ler (Ogg Vorbis, AAC, MP3, FLAC, WAV, AVI, MPEG, MOV, M4A, AC3, DTS, ALAC, MPC, Shorten, APE, SID, MOD, XM, S3M, etc ... ), e escreve para o Opus, Ogg Vorbis, FLAC, WAV, AAC e MP3.

Você precisa instalar o GStreamer... em preferências do SoundConverter você saberá como!

Interface do Conversor de Som - Música adicionada está selecionada, Barely Alive - Welcome To The New World. (Formato .m4a))
Imagem: Interface do Conversor de Som


 Em preferências temos 3 principais categorias: Onde Salvar, Como Salvar e Formato do Arquivo.

Preferências do SoundConverter
Imagem: Preferências do SoundConverter.

Naturalmente o software recriará os subdiretórios do diretório de origem no de saída se houver.

Como dito no WebSite do SoundConverter, o software utilizará todos os núcleos do processador para agilizar o processo de conversão. Aqui, como exemplo, tenho 1 processador com 4 núcleos e o software usou 1 núcleo para cada música da lista, convertendo assim 4 músicas simultaneamente e deixando os núcleos totalmente ocupados (em 100% de uso), então é bom somente ter esta aplicação aberta (em execução) quando for converter quantidades enormes de arquivos de som!

Pode-se instalar o software a partir da Central de Programas, ou baixá-lo e compilar manualmente!

Fontes:
soundconverter.org
GStreamer
LaunchPad

Desligar o monitor com o comando sleep

Aquela história de sempre!

Lá estava eu, baixando um arquivo extremamente grande via torrent, e comecei a procurar nas configurações do PC, aquele ajuste de desligar o monitor depois de 15, 30, 45, 60 minutos que eu já havia visto antes [...] mas acabei de encontrar enquanto redigia este post! ¬¬'

No elementary OS Freya e possíveis Ubuntus vá em Configurações >> Energia

Desligando o monitor

No Terminal digite:
$ sleep 1 && xset dpms force off

O monitor se desligará depois de 1 segundo e poderá ser ligado novamente pressionando qualquer tecla ou movendo o mouse.

Veja outros Comandos Também!

Fonte:
Blog Rodolfo Carvalho

NFS - Sistema de Arquivos em Rede no Gnu/Linux

O Network File System (NFS) foi desenvolvido para permitir que usuários de máquinas possam montar uma partição de disco em uma máquina remota como se fosse um disco local. Isto permite a rápida partilha, entre os dispositivos de uma rede.

NFS - Network File System
 Imagem: Ilustração - Tunelamento Quântico

Pode-se definir muitos critérios para o acesso de um diretório montado, mas vou abordar apenas o básico para a transferência de arquivos entre dois PCs utilizando o NFS.

Instalação

$ sudo apt-get install nfs-utils

ou no mínimo o seguinte pacote:
$ sudo apt-get install nfs-kernel-server

Configurando o Servidor

O arquivo de configuração para NFS fica localizado em:
/etc/exports
Esta configuração será realizada no PC-Servidor.
Dentro deste arquivo veremos algumas instruções e exemplos:

Arquivo exports esta sendo editado no gedit.
Imagem: Arquivo exports aberto no editor gedit.

A estrutura deve seguir o exemplo:
/endereço/do/diretório_a_compartilhar IP do PC que terá acesso(permissões)

ou no meu caso
home/phelipefox/Público *(rw,sync,no_root)

Em Verde: O diretório Público esta sendo compartilhado;
Em Azul: O asterisco (*) é uma instrução que qualquer endereço de IP pode acessar este diretório;
Em Vermelho: rw - r (read), permissão de leitura e w (write), permissão de escrita. sync - Sincronizar. no_root - Sem root.

Reinicie o processo em execução do NFS:
$ sudo service nfs-kernel-server restart

Conectando ao Servidor

Agora no outro PC para acessar o diretório recentemente compartilhado execute o comando abaixo no terminal substituindo, claro, o endereço IP do servidor, diretório e ponto de montagem:
$ sudo mount -t nfs 192.168.0.111:/home/phelipefox/Público /mnt/PC

Após isso, tudo que for gravado no diretório Público poderá ser acessado pelo Cliente!

Nota: O diretório PC em /mnt utilizado no exemplo, deverá ser criado previamente para ser de fato montado no seu PC Cliente!

Após terminado com a transferência de arquivos é altamente recomendável desmontar o diretório de compartilhamento.
$ sudo umount -f -l /mnt/PC
Comando umount desmonta o diretório que é especificado depois das opções /diretório/de/montagem.

Lhe recomendo também a leitura de SAMBA - Compartilhamento de Arquivos na Rede.
                                                               Ingressar no Grupo Doméstico do Windows com o Linux.

Fontes:
Wikipédia: Network File System
linux-nfs.org
NFS Sourceforge
Documentação Oracle: Configurando um novo servidor NFS
Viva o Linux: Montando e conectando em um servidor NFS